FEIPOL-SUL

FEDERAÇÃO INTERESTADUAL DOS TRABALHADORES POLICIAIS CIVIS DA REGIÃO SUL

previewA direção da UGEIRM vem, através dessa Nota Pública, manifestar a sua total solidariedade aos diretores do SINPOL-PE, que vêm sendo perseguidos de forma sistemática pelo governo daquele estado. Já são mais de 40 processos administrativos contra diretores do sindicato. Um deles, objetiva a demissão do presidente do sindicato, Áureo Cisneiros. Recentemente, Áureo foi notificado de que o processo que averigua uma suposta contumácia (prática reiterada de faltas funcionais) foi finalizada, tendo a Comissão processante decidido pela sua demissão, restando apenas a assinatura do governador. Outro policial que vem sofrendo a mesma perseguição, é o vice-presidente da entidade, Rafael Cavalcanti, que também responde a um processo de contumácia pelos mesmos fatos.

É importante frisar que, no ano de 2016, o Governo assinou um acordo com o sindicato, pondo fim a uma greve da categoria, onde havia o compromisso de anistiar todos os processos administrativos relativos à atividade sindical que envolvessem a diretoria e sua categoria. Com a perseguição deflagrada, o governo descumpre de forma acintosa o Acordo assinado com o sindicato. Como se não bastasse o descumprimento do acordo, o Governo veio a público recentemente, através de uma nota, mentir descaradamente ao povo pernambucano, afirmando que os processos que sustentam a contumácia são em decorrência de faltas no cumprimento de seus respectivos deveres policiais.

São 25 processos administrativos ajuizados contra Áureo e Rafael, TODOS em decorrência de estrita atividade sindical em defesa dos interesses dos policiais civis e da sociedade pernambucana, vítimas do descontrole da violência. Sendo que os diretores do sindicato são liberados para a atividade sindical, tendo, portanto, que cumprir seus horários na defesa dos interesses da categoria. Todo esse absurdo configura um flagrante atentado à liberdade sindical e ao espírito republicano que esperamos de nossos governantes.

Solidariedade dos Policiais Civis do Rio Grande do Sul

A UGEIRM entende que a perseguição perpetrada pelo governo pernambucano, é um grave ataque à liberdade de manifestação e organização de todos os Policiais Civis do país. A conquista do direito de organização sindical é fruto de uma intensa luta da categoria em todo o país. Nesse momento, em que vários direitos dos policiais estão em risco, como a aposentadoria integral e a paridade, não podemos nos calar diante de qualquer ato que busque intimidar os policiais na defesa dos seus direitos.

Diante disso, a UGEIRM repudia a perseguição aos dirigentes do Sinpol-PE e se solidariza com a luta cotidiana dos trabalhadores da segurança pública pernambucana. O direito de organização dos Policiais Civis é uma garantia para a cidadania do povo brasileiro!

Direção da UGEIRM (Sindicato dos Policiais Civis do RS)